Páginas

Mostrando postagens com marcador Ligado na Saúde. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Ligado na Saúde. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 9 de abril de 2012

Dia Mundial de Combate ao Câncer

Dia Mundial de Combate ao Câncer - 08 de Abril

O Câncer é um conjunto de mais de 100 doenças que têm em comum o crescimento desordenado de células que invadem os tecidos e órgãos, e podem se espalhar para outras regiões do corpo. Estas células tendem a ser muito agressivas e incontroláveis, determinando a formação de tumores, que é o acúmulo de células cancerosas. Já o tumor benigno é apenas uma massa localizada de células que se multiplicam vagarosamente e se assemelham ao seu tecido original, raramente representa um risco de morte.
Existem diferentes tipos de câncer devido aos vários tipos de células do corpo. Por exemplo, existem diversos tipos de câncer de pele porque a pele é formada de mais de um tipo de célula. Se o câncer tem início em tecidos epiteliais como pele ou mucosas ele é denominado carcinoma, se começa em tecidos conjuntivos como osso, músculo ou cartilagem é chamado de sarcoma.
Outras características que diferenciam os diversos tipos de câncer entre si são a velocidade de multiplicação das células e a capacidade de invadir tecidos e órgãos vizinhos ou distantes. 

A maioria dos casos de câncer (80%) está relacionada ao meio ambiente, no qual encontramos um grande número de fatores de risco. As mudanças provocadas no meio ambiente pelo próprio homem, os "hábitos" e o "estilo de vida" adotados pelas pessoas, podem determinar diferentes tipos de câncer.

COMO EXPLICAR O CÂNCER ÀS CRIANÇAS


Os pais devem falar do câncer com seu filho, de uma forma clara, sincera e sem sobressaltos. Ao se confirmar o diagnóstico da doença, é normal que os pais se sintam confusos, ansiosos, desorientados, e totalmente perdidos diante da complexidade que supõe a linguagem do diagnóstico, assim como as terapias de tratamento.

Por essa razão, é necessário que os pais se preparem, informem-se, e se inteirem dos mínimos detalhes sobre a doença, para que a aceitação da enfermidade seja mais tranquila e mais controlada. Fale com o médico do seu filho. Sua experiência servirá de consolo e apoio. É importante que os pais falem com seus filhos sobre o câncer, de uma forma clara, sincera e sem sobressaltos. Considere a opinião do médico especialista. Ele saberá dizer qual pode ser o momento mais conveniente para que seu filho saiba o que tem. Assim, quando chegar o momento, os pais poderão passar tranquilidade e segurança ao seu filho. Em casos como este, a orientação de um psicólogo é muito importante tanto para os pais como para os filhos.

Não existe razão para se desesperar. As energias deverão estar centradas na solução da doença e não na busca das possíveis causas. Deve-se lutar pela cura e não por buscar culpados.

Como explicar o câncer a uma criança


Pode-se explicar o câncer a uma criança de diferentes formas, segundo a idade que tenha, já que uma crianças de 2 anos não entenderá o mesmo que outro de 5 ou de 8 anos. Além disso, deve-se ter em conta que cada criança é um mundo distinto, e por isso deve-se encontrar a forma apropriada como contar a cada um deles. Encontramos algumas formas que os poderão ajudar:
- Por mais que os pais tentem explicar a uma criança de 2 anos o que é o câncer, ela não entenderá. Saberá que tem um “dodói” que necesita ser curado, nada mais. Nesta idade, o que eles precisam é sentir que seus pais estão ali e que lhes protegem. Precisarão de muito apoio, ânimo, e força, principalmente quando tomar injeções, fazer um exame incômodo, ou muitas vezes ir ao médico ou ao hospital.
- A partir dos 5 anos de idade, a criança já entenderá algo mais do conceito da doença, principalmente quando estiver vivenciando isso. Nesta idade, provavelmente irá querer saber o porque está doente. Explique-lhe que isso não é importante. Que a importância está na sua cooperação e colaboração no tratamento. Diga-lhe que o câncer são células “más”, e que o tratamento fará com que as células “boas” acabem com elas. Deve transmitir-lhe confiança, através de atitudes positivas.
- A partir dos 7 anos de idade, a criança compreenderá melhor a doença. Já se pode falar abertamente com ela sobre o assunto e fazê-la entender que a cura também dependerá de sua colaboração. Nesta idade, a criança já expressará melhor o que sente, seus medos, e dificilmente mostrará resistência para fazer algum exame ou a tomar os medicamentos, ainda que conheçam seus efeitos. 
Em qualquer caso e a idade que seja, é fundamental o carinho e o apoio da família. As crianças querem sentir-se protegidas e acolhidas.

As reações da criança ao câncer


Como a criança reagirá quando souber que tem uma doença que a fará estar ou visitar o hospital muitas vezes, é uma incógnita. Tudo dependerá da forma de ser da criança, do seu estado de ânimo, do apoio médico e familiar que tenha, do tipo de câncer que sofre, e da evolução do tratamento. A dor, bem como a duração da doença, são fatores muito difíceis de ser vividos por uma criança. E isso ainda tem o agravante de ter que estar mais afastada dos seus pais, amiguinhos, companheiros da escola.
A postura da família é muito importante para a evolução do tratamento. Deve-se pensar que tudo se supera quando se mantém o bom ânimo e a esperança. Se você tem uma criança que sofre de câncer, e se encontra no hospital, trate de criar um bom ambiente para ela. Busque distraí-la como puder, com brinquedos, “amiguinhos” de pelúcia, desenhos para colorir, e com prêmios por cada etapa superada. É necessário que empregue uma rotina, como por exemplo, para estudar e fazer os deveres do colégio. Se for conveniente, convide alguns dos seus amiguinhos para visitá-la. A criança ficará encantada em compartilhar suas experiências com eles, e assim desabafar um pouco. Pouco a pouco, a criança irá se adaptando à nova e temporal situação, e a vida familiar e social vai-se normalizando. O importante é que todos estejam unidos para superar a doença.
(Fonte: Brasil Escole e Guia Infantil)

Projeto Pedagógico - Dia Mundial da Saúde


"SEM SAÚDE NÃO HÁ VIDA"

1- INTRODUÇÃO

Em se tratando de educar para higiene corporal, há de se buscar uma prática
participativa de modo que as orientações para os alunos sejam coerentes com
a linguagem do próprio corpo.

A presença do educador com uma nova visão se torna imprescindível e
fundamental, pois é, preciso que "saber" seja extensivo a todos, é preciso
facilitar para que o aluno se aproprie do conhecimento científico a respeito
do próprio corpo, sobre as condições de vida da população e sobre sua
importância de colocar em prática certos hábitos que contribuirão
decisivamente no cuidado com o corpo.

Quando o aluno percebe que estes hábitos o ajuda a viver melhor, sem dúvida
alguma ele estará motivado a colocá-la em prática com regularidade.

Isso faz com que o educador seja o mediador entre aluno/família, renovando e
incentivando o interesse em se praticar corretamente os hábitos de higiene.
Muitas vezes, nós, educadores, percebemos um certo desconforto em nossos
alunos, provocando até mesmo um baixo índice de rendimento escolar.

É neste momento que devemos esclarecer e estimular os alunos, propondo uma
tomada de consciência no que diz à saúde, à limpeza corporal, à postura,
etc.

Ser saudável é também estabelecer bons hábitos e compreender que o nosso
corpo merece um carinho especial, e que esse tratamento nos traz benefícios.

2- APRESENTAÇÃO
O presente projeto implantado em Patrocínio- MG, através da Escola Municipal
Maria Isabel de Queiroz (CAIC), apresenta uma proposta enriquecedora,
planejada e interdisciplinar que deverá ser trabalhada no ano de 2001,
buscando a integração da Escola e Família, no sentido da conscientização dos
hábitos de higiene.

3-JUSTIFICATIVA
O Projeto "Sem saúde não vida", é uma proposta que possibilita e garante uma
aprendizagem efetiva e transformadora de atitudes e hábitos de vida.

Ao educar para a saúde e para a higiene, de forma contextualizada e
sistemática, toda a equipe contribui de forma decisiva na formação de
cidadãos capazes de atura em favor da melhoria dos níveis de saúde pessoal e
da coletividade.

Tratar de higiene e saúde tem sido um desafio para a educação, no que se
refere à possibilidade de garantir uma aprendizagem efetiva e transformadora
de atitudes e hábitos.

As experiências mostram que transmitir informações a respeito do
funcionamento do corpo e descrição das características das doenças, bem como
um elenco de hábitos de higiene, não é suficiente para que os alunos
desenvolvam atitudes de vida saudável.

É preciso educar para a saúde, levando em conta todos os aspectos envolvidos
na formação de hábitos e atitudes que acontecem no dia-a-dia da escola.


4- OBJETIVO GERAL

O objetivo principal do Projeto "Sem saúde não há vida" é conscientizar os
alunos para o direito à saúde, sensibilizá-los para a busca permanente da
compreensão de seus determinantes e capacitá-los para a utilização de
medidas prática de promoção, proteção e recuperação da saúde.

5- OBJETIVOS ESPECÍFICOS
  1. Levar o aluno a perceber a necessidade de adquirir bons hábitos de
    higiene;
  2. Identificar doenças causadas por falta de higiene;
  3. Discutir as formas de higiene corporal, bucal, etc.;
  4. Estimular para a prática correta de tomar banho, cortar as unha e
    cabelos;
  5. Adotar hábitos de autocuidado, respeitando as possibilidades e limites do
    próprio corpo;
6- DESENVOLVIMENTO DA PROPOSTA PEDAGÓGICA
6.1 Metodologia
Eis aqui algumas informações que facilitarão o trabalho realizado com os
alunos.
São informações variadas, enfocando sempre a prática da higiene corporal.
Vale lembrar que, nós, educadores, somos o exemplo vivo para os alunos,
portanto, assim como orientá-los, devemos praticar corretamente as normas de
higiene.

  1. Banho: A pele tem milhões de glândulas especiais que produzem suor, e
    outras que produzem uma substância parecida com o sebo. A falta de banho
    provoca o acúmulo gradativo dessas substâncias, que se somam às sujeiras
    exteriores (poeiras, terra, areia, etc.). A conseqüência é o aparecimento de
    assaduras, além do odor (mau cheiro) desagradável, e o risco de aparecimento
    de piolhos e sarna. Frisar a importância do banho diário em países de clima
    quente, como no nosso, e destacar o banho de chuveiro, que é mais higiênico.
    De acordo com as necessidades locais, ensinar a fazer um chuveiro de lata.
    SUGESTÕES:
  • Realize na sala de aula a "Feira do banho", trazendo todos os
    objetos envolvidos na higiene corporal.
  • Monte-os num pequeno balcão e esta exposição poderá ser usada toda vez que
    o assunto permitir.
  1. Unhas: Cortar as unhas e mantê-las sempre limpas são medidas importantes
    para prevenir certas doenças. Quando a pessoa coloca a mão na boca, a
    sujeira armazenada debaixo das unhas pode dar origem a verminose e outras
    doenças intestinais. Além disso, valorizar os aspectos estéticos
    relacionados à beleza das unhas. E procurar eliminar o hábito de roer unhas.
  2. Vestuário: O corpo humano regula, automaticamente, sua temperatura quando
    exposto ao frio ou calor. Entretanto, quando há exposição aos excessos de
    temperatura, podem surgir alterações no organismo. Mostre que o vestuário é
    importante na manutenção da temperatura corporal.
    SUGESTÕES:
  • Utilize cartazes ou murais para mostrar hábitos de vestuários
    do Brasil e de outros países, sob as mais diferentes condições climáticas.
  • Mostre a importância do sol na higiene da roupa.
  • Destaque a necessidade de se usarem roupas sempre limpas, e de ter um
    lugar para guardar roupas sujas.
  • Mostre a necessidade de andar calçado. Se os pés não estiverem protegidos,
    correm o risco de sofrer muitas agressões ou machucados, por pregos,
    espinhos, pedras, etc.
  • Além disso, os pés descalços são portas abertas às verminoses (amarelão,
    lombriga, solitária) e outras doenças, como o tétano.
  1. Dentes: Existe uma íntima relação entre dentes bem cuidados e boa saúde.
    A pessoa com dentes estragados não mastiga direito; a qualquer momento
    pode sofrer violentas dores; e existe sempre o perigo de doenças muito sérias,
    como reumatismo infeccioso, que pode ter nos dentes podres a sua origem.

    Mostre ao aluno que a cárie é o resultado da ação dos micróbios sobre restos
    de alimentos retidos entre os dentes. Portanto, a limpeza correta dos dentes
    impede a formação das cáries. É importante mostrar aos alunos que os dentes
    de leite devem ser cuidados da mesma forma que os dentes permanentes.

    Essa importância decorre não só da necessidade de se criarem bons hábitos
    higiênicos, mas também do fato de que o dente de leite estragado pode afetar
    o organismo, inclusive prejudicando os novos dentes que virão.

    Destaque os fatores estéticos e emocionais relacionados com os bons dentes:
    a beleza de um sorriso; o mal-estar causado a sim e aos outros pelo mau hálito.
  2. Cabelos: Devem ser cortados habitualmente. E lavados com shampoo ou sabão
    diariamente, ou então, duas vezes por semana.

    Destacar os fatores estéticos relacionados com cabelos limpos, cheirosos e
    bem cortados.

    Mostrar os riscos de cabelos grandes e sujos, que facilitam a proliferação de piolhos.
QUESTIONAMENTOS:
Levar o aluno a refletir e questionar sobre suas atitudes higiênicas.
O que posso fazer para conservar meu corpo limpo?
Que cuidados devo ter com meus cabelos, unhas e dentes?
Qual a melhor maneira de limpar as orelhas?
Como devo conservar os meus pés? Por que?
Como devem ser estar as roupas que uso par ir à escola?
Que roupas devo usar para dormir?
E para passear?
Como devem ser as roupas nos dias de frio e calor?
O professor deve também estar atento a toda e qualquer modificação no
estado geral de seus alunos, pois, alteração na temperatura do corpo, dor
de garganta, palidez, dor de cabeça, náuseas, vômitos, diarréias, podem
ser sinais e sintomas de doenças transmissíveis.


6.2- REFERÊNCIAS TEÓRICAS

O referido projeto tem uma linha ampla de pesquisa e inspira-se em vários teóricos.
6.3- ESTRUTURA DE APOIO
A execução do projeto terá a colaboração de toda a equipe pedagógica,
pais, alunos e toda a comunidade.

6.4- INTEGRAÇÃO COM A COMUNIDADE
Deve-se contar com a participação de todos que estão inseridos no processo.
Contar-se-a também com a ajuda da Secretaria Municipal de Saúde, Postos de
Saúde, com a realização de palestras, exibição de filmes, debates, entrevistas, etc.

6.5- PROCEDIMENTOS
Quanto ao funcionamento: A proposta será desenvolvida a todos os alunos do
1º ciclo, sem duração pré-definida, através de atividades interdisciplinares.

6.6- RECURSOS HUMANOS
Professores, orientadores, supervisores, estagiários, alunos e voluntários.
6.7- RECURSOS MATERIAIS
Serão utilizados: jornais, painéis, revistas, murais, apostilas, material
didático-pedagógico, cartolinas, pincéis, etc.

6.8- CLIENTELA
Alunos da Escola Municipal Maria Isabel de Queiroz (CAIC), das classes iniciais (1º ciclo)
6.9- ORGANIZAÇÃO DAS TURMAS
Será organizado de acordo com o número de alunos de cada turma.
6.10- AVALIAÇÃO DO RENDIMENTO
Percebendo que a higiene corporal é de suma importância, portanto, através
desse projeto, queremos que nossos alunos sejam beneficiados, orientados e
alertados da necessidade do cuidado do corpo como um todo.

É um assunto abrangente, e faz-se necessário um trabalho contínuo, sempre
voltado para o fator limpeza. Na oportunidade, queremos também que todos os
alunos se informem das várias formas de higiene em casa, na escola, no local
de estudo e trabalho.

A proposta é mostrar ao aluno que seu corpo "é fonte de vida" e que merece
carinho e cuidados especiais.

6.11- Forma ou Expressão dos Resultados
Todos os resultados e avaliações serão feitas através de: relatórios, apostilas, gráficos, etc.
6.12- Acompanhamento e Avaliação do Projeto
Será feito através de estudos, reuniões com a participação efetiva de todos
os participantes e voluntários.

Fonte: Educacional

Dia Mundial da Saúde - 07 de Abril

O dia mundial da saúde foi criado em 1948, pela Organização Mundial de Saúde (OMS), através da preocupação de seus integrantes em manter o bom estado de saúde das pessoas do mundo, bem como alertar sobre os principais problemas que podem atingir a população.
Ter saúde é garantir a condição de bem estar das pessoas, envolvendo os aspectos físicos, mentais e sociais das mesmas, em harmonia, definição dada segundo a OMS.
É necessário que informações acerca da higiene, doenças, lixões, aterros sanitários, dentre outras, cheguem à população, pois dessa forma o governo faz um trabalho preventivo, melhorando a saúde da população e diminuindo gastos com a saúde pública.
Sendo de responsabilidade dos governantes, a saúde pública deve ser levada a sério tanto pelos municípios, estados e governo federal. Esses devem cuidar de aspectos ligados às suas responsabilidades, capacidades e verbas.
O saneamento básico é um desses aspectos para se manter a saúde de uma população, pois garante que a água tratada chegue até nossas casas e que as redes de esgotos estejam devidamente encanadas, diminuindo os riscos de contaminação por bactérias.
Campanhas de vacinação também é uma forma preventiva de cuidar da saúde das pessoas, pois através delas é possível evitar doenças e epidemias entre as pessoas.
Participar de pequenas associações também é uma forma de buscar informações sobre a manutenção da saúde, pois estas estão diretamente ligadas a governantes, que devem assumir tais responsabilidades; promover discussões e reflexões visando maior amplitude do tema, buscando soluções para manter o saneamento ambiental, garantindo o desenvolvimento social e econômico de um país.
Outra forma de garantir a saúde de um povo é dando-lhes condições dignas de trabalho, a fim de proporcionar ganhos o suficiente para manter uma alimentação de qualidade. Através de uma boa alimentação as pessoas adquirem uma forma saudável de manter a saúde própria, evitando despesas com planos de saúde e remédios. (Fonte:Brasil Escola)


(Atividades retiradas do blog: rosecraveiro.blogspot.com.br)

sábado, 20 de agosto de 2011

Ligado na Saúde


Você sabe o que é higiene bucal?
A higiene bucal é a melhor forma de prevenir cáries, gengivite, mau hálito e outros problemas na boca. Dentes saudáveis têm menos cáries, são limpos e ajudam a falar bem e mastigar corretamente os alimentos. Confira as três principais orientações para a saúde bucal:


ESCOVE OS DENTES NO MÍNIMO 3 VEZES AO DIA! A escova de dente é o principal instrumento para uma boa higiene bucal. O correto é escovar os dentes sempre após as refeições, durante, no mínimo, 2 minutos em um local com boa iluminação e sempre de frente a um espelho.


USE O FIO DENTAL! O fio dental remove a placa bacteriana e os restos de alimentos das áreas onde a escova de dentes não alcança, como por exemplo, a linha da gengiva e as áreas entre os dentes, evitando o aparecimento de cáries e doenças na gengiva.


VISITE O DENTISTA REGULARMENTE! As visitas ao dentista são uma revisão do estado da higiene dos dentes. Ajudam a manter os dentes. Ajudam a manter os dentes mais limpos, saudáveis e também ajudam a evitar o desenvolvimento de problemas que podem causar dor, como cáries.