Páginas

Mostrando postagens com marcador teatro. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador teatro. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Tipos de Mães - Teatro Dia das Mães

Um desfile de vários tipos de mães, em cenas curtas, que, com as suas filhas, demonstram suas personalidades.

NARRADOR: As mães, em geral, recebem no seu dia, muitas homenagens, presentes e beijos dos filhos. Isso é bom e justo, mas não é tudo. Hoje, em nossa apresentação, queremos dar-lhes a oportunidade de meditar na grande responsabilidade que Deus colocou em seus ombros, de formar personalidades.
Assim, pois, Mãezinhas, façam uma honesta autocrítica, à medida que tentarão descobrir se pertencem a alguns dos tipos de mãe que serão apresentadas numa pequena representação.
Vamos conhecer, primeiramente, a “mãe possessiva”.
MÃE POSSESSIVA: (entra pisando forte, um tanto arrogante) Me chamam de mãe possessiva porque não dou muita liberdade aos meus filhos para escolherem as coisas. Eles são MEUS filhos, e só EU sei o que é melhor para eles.
KÁTIA: Mãe eu já vou para o aniversário da Aninha, ta bom? A senhora vai me dar dinheiro para comprar o presente dela,?
MÃE: (olha para sua filha da cabeça aos pés) Ah, Kátia! Com esse vestido, não! Vai vestir o azul e calce as sandálias brancas. EU sei muito bem o que você deve vestir. E quanto ao presente, EU vou à loja comprá-lo.
KÁTIA: Eu queria levar um perfume, mãe.
MÃE: Que perfume que nada! Você vai levar uma caneta. EU sei o que é melhor para a Aninha.
(Kátia sai decepcionada)
MÃE: EU não vou deixar MINHA filha fazer o que quer. EU sei o que é melhor para ela.
(Sai a mãe possessiva)
NARRADOR:Saibam vocês, mãezinhas, que estão nos ouvindo agora, que, passado alguns anos, Kátia, a filhinha da “mãe possessiva”, ficou uma jovem frustrada, insegura na vida, incapaz de tomar qualquer decisão ou iniciativa. Kátia gostou de um rapaz e casou. Depois de algum tempo começo a desarmonia no lar, pois o marido não suportou ter uma esposa que não sabia tomar decisões, não tinha fibra nem maturidade para dirigir o lar e educar os filhos, e terminou abandonando-a.
Aí vem a “mãe displicente”. O que nos dirá ela sobre a educação que dá aos seus filhos?
MÃE DISPLICENTE:(entra com ar indiferente e arrastando os pés) Dizem que sou a mãe displicente porque não ando atrás dos meus filhos reparando com quem brincam ou as roupas que usam, nem se vão à Igreja ou ficam na rua brincando. A Igreja tem o Pastor Josinei e as tias Luciana e Silvânia para ensiná-los.
CAROL:(entra com uma mochila de escola) Mãe, me ajude fazer o trabalho da escola. Preciso de cartolina, canetinha, régua, cola, tesoura...
MÃE: Fazer um cartaz, Carol? Eu nunca fiz um cartaz em minha vida! Pede uma colega ou sua professora te ajudar!
CAROL:Mãezinha, me ajude então a procurar os versículos da lição da Escola Dominical?
MÃE: (impaciente, levando as mãos à cabeça, interrompendo sua filha) Ih!... Carol! Isto é com tias Luciana e Silvânia, eu não tenho tempo pra isso!
(Carol sai choramingando)
MÃE: É isso mesmo! Podem me chamar de displicente que eu não ligo! (sacode os ombros) Eu não posso fazer tudo o que eles querem, mas garanto que amo muito os meus filhos!
(Sai a mãe displicente)
NARRADOR:Sabem, Mãezinhas, o que aconteceu com Carol, a linda filhinha da “mãe displicente”? Sentindo falta do companheirismo de sua mãe, que não conversava com ela, não se interessava pelos seus problemas de escola, nem com sua vidinha espiritual, Carol procurou lá fora amigos para lhe fazerem companhia. Essas amizades nem sempre foram edificantes e, um dia, encontrou um grupo de “hippies”! A “mãe displicente” está sofrendo porque perdeu a filha, e Carol está arriscando a perder a alma, ingressando numa vida de vícios.
O que nos contará agora a mãe serviçal?
MÃE SERVIÇAL: (entra usando um avental, onde enxuga suas mãos; fala lentamente e com a voz cansada) Me chamam de mãe serviçal, porque vivo pra servir meus filhos. Não quero que meus bichinhos façam nada em casa! Eles já estudam tanto, pobrezinhos!
LENINHA: (entra arrogante e gritando) Ei, mãe, a senhora não passou a minha blusa vermelha! Eu não disse que queria ela pra hoje?
MÃE: Desculpe, Leninha! Hoje eu estava tão cansada que...
LENINHA: (interrompe rapidamente) Ah, mãe! Isso não é desculpa! A senhora teve tempo para fazer as unhas...
(Leninha sai batendo os pés toda nervosa)
MÃE: Desculpe minha filha, vou passar agora! Ah, eu não tenho tempo para vaidades... tenho que cuidar dos meus filhos!
(Sai a mãe serviçal limpando as mãos no avental)
NARRADOR:E Leninha, a filha da “mãe serviçal”? O que aconteceu com ela? Querem saber, Mãezinhas? Ela ficou cada vez mais autoritária e mandona, exigindo tudo de sua mãe. Leninha não lhe tinha qualquer consideração, antes a tratava como uma simples empregada. Mais tarde, casou e, agora, quer dominar o marido e submetê-lo aos seus caprichos. Ele nãos e sujeita e, por isso, vivem brigando diante dos filhos. O lar deles está em crise, em vias de desmanchar-se.
Está chegando a “mãe complacente”. Vamos ouvi-la.
MÃE COMPLACENTE: (entra sem pressa, sorridente, com ar de que acha tudo bom) Me chamam de mãe complacente porque sempre perdoo as falhas dos meus filhos. Não os castigo, nunca os repreendo e jamais digo “não”. As vezes as tias Luciana e Silvânia dizem que meus filhos são cheios de vontade e que nunca obedecem. Ah, elas não entendem a educação que dou para meus filhos.
FLAVINHA: Mãe, eu joguei a dentadura da empregada no lixo e ela ficou furiosa!
MÃE: (dá uma risadinha) Não tem nada, não, Flavinha. Eu dou outra pra ela!
FLAVINHA: Eu também desmanchei seu relógio. Queria saber como era lá dentro.
MÃE: Tá bom, Flavinha. Não se preocupe, o papai compra outro!
(Flavinha sai pulando de alegria)
MÃE: Que gracinha! Como ela é inteligente!
(Sai a mãe complacente)
NARRADOR:Que coisas tão tristes aconteceram com Flavinha! A menina que a “mãe complacente” nunca repreendeu, nem encaminhou nos caminhos do Senhor, tornou-se uma jovem indisciplinada, anarquista, que não respeita o direito dos outros, nem sabe o que é lei e ordem. Impulsiva, ela faz o que bem quer, sem pesar consequências. Por causa dos seus atos desordeiros, já andou até envolvida com a polícia. Flavinha é grande amargura para o coração de sua mãe.
Escutem, agora, Mãezinhas, o que vai dizer a “mãe sensata”. Ela está chegando.
MÃE SENSATA: (entra com ar tranquilo e feliz) Me chamam de mãe sensata porque procuro educar meus filhos segundo os ensinamentos da Bíblia. Lemos a Bíblia, oramos e vamos a Igreja sempre juntos. Também exijo que façam as algumas tarefas em casa. Repreendo quando estão errados e os ajudo a fazer boas escolhas.
LUANA: Mãezinha, já fiz a lição de casa, posso brincar?
MÃE: Pode sim, filha!
(Luana dá um abraço e um beijo na mãe e as duas saem abraçadas)

Teatro Dia das Mães

Lucas quer comprar um presente para sua mãe.

Que presente darei no dia das mães?
A dificuldade para escolher o presente. Um presente que represente a gratidão, o reconhecimento...
Ele recebe a ajuda de um desconhecido

CENA 1- Entra o Lucas preocupado "andando de um lado para o outro" e Paulo se aproxima -
PAULO: Olá! Desculpe-me, mas eu estava passando e pude notar que você parecia tão inquieto andando para lá e para cá, está tudo bem? Eu posso te ajudar?
LUCAS: Não obrigado. Eu só estou pensando... E depois eu nem te conheço!
PAULO: Se este for o problema, eu me chamo Paulo e você qual é o seu nome?
LUCAS: Eu me chamo Lucas. Sabe o que é e que eu tenho que comprar um presente para minha mãe.
PAULO: Mas eu não vejo nenhum problema nisso?!
LUCAS: Sabe, e que eu estive pensando comigo. Tenho que comprar um presente bacana para minha mãe e comecei a pensar em tudo que ela faz por mim.
PAULO: Ainda não estou conseguindo entender qual o problema?
LUCAS: Tudo Bem eu acho que eu posso me abrir com você. E que eu comecei a refletir sobre mim e as minhas atitudes para com a minha mãe... da minha desobediência, das vezes que ela me pede para fazer alguma coisa e eu por pura preguiça eu não fazia... sem contar as mentiras e outras coisas.
PAULO: Você está com remorso por tudo isso...
LUCAS: Não sei se esta seria a palavra correta. Sabe o que eu não entendo? É que depois de tudo isso ela sempre me tratou com o mesmo carinho de sempre... Você está me entendendo?
PAULO: Lucas, Mãe é um presente de Deus para as nossas vidas e quantas pessoas não reconhecem isso.
LUCAS: È verdade. Mas como irei achar um presente para minha mãe depois de tudo isso. Tem que ser um presente especial...
PAULO: Sabe, eu sei qual presente você pode dar para a sua mãe um presente que jamais ela irá esquecer.
- Paulo chama Lucas em um canto e fala próximo ao seu ouvido e ambos vão saindo -
CENA 2
 
- Entra a Mãe fazendo alguns afazeres domésticos e em quanto a mãe trabalha ouve-se a musica Entra Lucas no momento da musica ele fica observando de longe –
MÃE: Filho você chegou, olha o almoço já esta pronto, eu já terminei de lavar as tuas roupas e até aquele seu tênis que você disse que estava com mau cheiro, já está cheirosinho. Filho está tudo bem com você?
LUCAS: Sim mãe e que eu estive pensando em algumas coisas... Sabe hoje e o dia das mães eu estava pensando em um presente para dar a senhora...
MÃE: Mas filho você é o meu maior presente não precisa se preocupar. Não gaste seu dinheiro.
LUCAS: Eu andei muito pensei comigo qual seria o presente ideal para minha mãe até que eu descobrir é uma coisa que eu deveria te lhe dado a muito tempo aqui está.
- Lucas entrega uma caixa para mãe dentro da caixa há um faixa que diz Perdão-
MÃE: Filho o que é isso?
LUCAS: Mãe este é o meu presente para a senhora, um pedido de perdão e a promessa de ser um filho obediente, pois não há presente material que eu possa dar como prova de reconhecimento por todo seu amor. Te amo mãe!
- Ambos se abraçam entra a musica –

terça-feira, 24 de abril de 2012

A MAMÃE ESQUECIDA - TEATRO DIA DAS MÃES

É uma brincadeira com a indiferença dos filhos, contrastada com a ansiedade da mãe.

(A mãe fica no palco, os personagens entram e saem do palco, no final todos voltam)
MÃE – Oba! Hoje é o dia das mães! Vou ganhar 8 presentes, Pois tenho 8 filhos. Ai vem o 1º.
JOGADOR DE FUTEBOL – Oi mãe?
MÃE – Oi filho. O que é que você vai me dar hoje?
JOGADOR DE FUTEBOL – Te dar? Ah é! Toma ai! (Entrega a camisa suja pra ela lavar) O jogo foi no barro, foi mau... Tchau.
MÃE – Ele esqueceu do dia das mães. Será possível? Ai vem mais um. Oi filho?
PATRICINHA – Oi mãe.
MÃE – Tem alguma coisa pra me dizer filha?
PATRICINHA – Tenho, me dá 5 reais?
MÃE – Eu não tenho.
PATRICINHA – Tem sim.
MÃE – Não tenho.
PATRICINHA – Tem sim. Me dá se não eu choro.
MÃE – Não.
PATRICINHA – (chora)
MÃE – Ta bom.
PATRICINHA – Brigado. Tchau.
MÃE – Mais uma que esqueceu do dia das mães.
FERNANDA – Mamãe o Oscar me bateu.
OSCAR – Mentira mamãe. Foi a Fernanda quem me Bateu.
FERNANDA – Ele me chamou de burra.
OSCAR – E ela me chamou de asno.
FERNANDA – Mentira dele.
OSCAR – Por falar nisso o que é asno?
FERNANDA – Asno é você!
OSCAR – Não sou não, sua taturana depenada que chupa o dedão do pé!
FERNANDA – Vou te mostrar quem é taturana!
OSCAR – Então vem!
MÃE – Já chega! Os dois estão de castigo. Já pro quarto!
(toca UM SONZÃO DE ROCK)
ROQUEIRO – E ai coroa?
MÃE – Olha o respeito!
ROQUEIRO – Fica fria mãe. O quê que você fez de almoço hoje?
MÃE – Hoje eu fiz uma comida muito gostosa. Por que hoje é um dia muito especial não é?
ROQUEIRO – Sei lá, coroa. Vô ali curtir um som e já volto. Falou.
MÃE – Ninguém se lembrou do meu dia...
AS GÊMEAS – Oi mamãe?
MÃE – Oi minhas filhinhas.
GEMEA 1 – Agente queria te dizer uma coisa.
GEMEA 2 – Nós não esquecemos.
MÃE – Até que enfim que alguém se lembrou.
GEMEA 1 – Você nos deve...
GEMEA 2 – 20 Reais. Dez pra mim e dez pra Érika.
MÃE – Ta aqui!
AS DUAS – Tchau!
MÃE – Ninguém lembrou que hoje é o dia das mães. 8 filhos e todos se esqueceram.
PATRICINHA – Mamãe nós só estávamos brincando. (ENTRA COM OS OUTROS FILHOS) Você nunca será esquecida por nós.
(A PARTIR DESSA FALA TODOS OS FILHOS FALAM OLHANDO PARA A SUA MAE NO PUBLICO)
GEMEA 2 – Mamãe eu nunca vou deixar de amar você.
GEMEA 1– Obrigada pelo seu amor mamãe, um beijo.
FERNANDA – Mamãe, sou grata a você por ter me dado o presente mais valioso, a vida.
OSCAR – Mamãe, você é muito especial para mim. Te amo.
PATRICINHA – Mamãe, que Deus te dê muita saúde. Obrigado pelo seu amor.
AS GÊMEAS – Mamãe, o nosso amor por você não tem fim. Um beijo duplo pra você.
ROQUEIRO – O seu carinho será lembrado para sempre em nossos corações.
TODOS – Viva o dia das Mães!
(Podem inventar mais personagens de filhos, com outras características)

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Teatro para dia do Catequista


O Chamado a ser Catequista

Autora: Maria Ferreira

Personagens:
Padre
Maria
Marta
Pai

(Padre e Marta entram em cena)

Padre: Bom dia minha filha

Marta: Bom dia padre a sua benção

Padre: Deus te abençoe minha filha, que bom te encontrar eu estava mesmo precisando falar com você. E que estamos precisando de catequistas em nossa comunidade. Você que ser catequista Marta?

Marta: O padre e que estou muito ocupada não tenho tempo, aliais já estou atrasada (olha no relógio e sai) até outro dia padre.

(Pai entra em cena e cumprimenta o padre)

Pedro (Pai): Bom dia padre, que bom lhe encontrar, quero escrever meu filho na catequese, quando começa a inscrições

(Padre triste)

Padre: Bom dia Pedro, Infelizmente meu filho esse ano não teremos catequese em nossa comunidade, pois não encontro ninguém que queira ser catequista.

(Pai indignado)

Pedro (Pai): Mas isso é um absurdo padre uma comunidade que não tem catequese para as crianças. O que o senhor pretende fazer.

Padre: Vou continuar procurando, alias você quer ser catequista meu filho?

Pedro (Pai): O padre eu sou um homem muito ocupado não tenho tempo, mas espero que o senhor encontre pessoas que aceitem ser catequistas. Tchau, padre.

Padre: Fala para Maria que eu que fala com ela.

Pedro (Pai): Eu Falo.

(Pedro sai de cena)

(Padre olha para imagem de Jesus e respira fundo)

Padre: Senhor Jesus assim como o Senhor encontrou discípulos no meio do povo me ajude a encontrar catequistas dentro dessa comunidade.

(Maria entra em cena e se aproxima do padre)

Maria: Sua benção padre

(Padre muito feliz abençoa Maria)

Padre: Deus te abençoe Minha filha, há quanto tempo não lhe vejo.

Maria: E que estou muito ocupada trabalhando, fazendo faculdade e agora sou mãe. Mas o meu marido me disse que o senhor queria fala comigo.

Padre: Sim! Eu que quero. Quero lhe fazer um convite, aliais eu não Jesus, nossa comunidade esta precisando de catequista. Maria você quer ser evangelizadora, pescadora de almas para Deus.

(Maria pensa um pouco e responde com um sorriso)

Maria: Sim padre eu aceito, e eu conheço algumas pessoas que também estão dispostas a ser pescadores de almas para Deus.

Padre: Então traga essas pessoas para que possamos apresentá-las a comunidade.

(Maria sai e trás os catequistas)

Padre: Esses são os discípulos do Senhor os pescadores de almas de nossa comunidade. Esses são os nossos catequistas.

Narradora: Vamos dar uma salva de palmas aos nossos catequistas. Esses são homens e Mulheres que apesar de ter uma vida atarefada cheia de responsabilidade encontram tempo para catequizar nossos filhos. E ate nosso Pároco que tem 5 Comunidade para cuida encontra tempo para catequiza nosso jovens. Para um dia eles também possa ser evangelizadores, pescadores de homens para Deus.


Fim

sábado, 25 de junho de 2011

Teatro Sagrado Coração de Jesus


Dia do Sagrado Coração de Jesus

Personagens: R: Renata   V: Verônica    N: Nanda   L: Lucas   G: Guto   I: Ivo

Padre: Hoje, minhas amadas crianças, comemoramos o dia do SCJ, por isso não cessem nas suas orações de pedirem a ele por vocês e suas famílias.
Após a missa:
R: Nossa que legal o que o padre Samuel disse na missa!
V: É, vai ser legal a festa dos “dia dos namorados com Jesus” na paróquia!!
R: eu to falando da Homilia Veronica, não dos avisos
N: Vocês conhecem as doze promessas do sagrado coração de Jesus? Minha mãe me contou ontem no terço
V: Eu nunca ouvi falar, me conta por favor...
L: Contar o que a gente também que saber..
N: Contar quais são as Promessas do Sagrado Coração de Jesus, seus curiosos.
L: Então Conta, Nós todos queremos Saber.
N: Eu não me lembro de todas, mais essas eu não pude esquecer: “eu os consolarei de todas as suas aflições”,”As almas tíbias se tornarão fervorosas”
L: Mas o que significa TÍBIAS?
I: Alma tíbia serve a Deus com negligência e desgosto, ou seja, não sevem a Deus com amor, e sim com indiferença.
L: ah.. entendi... mais então prossiga quais são as outras promessas?
R: eu me lembro de uma que fala queque Jesus dará às almas dedicadas ao seu Coração todas as graças necessárias ao seu estado.
G: Minha vó é devota ao Sagrado coração, faz parte até do apostolado da Oração, será que Jesus ajudará a curar a sua gripe?
L: Com certeza, Guto!
N: tem uma outra promessa muito importante e bonita, onde Jesus promete a tosos que comungarem na primeira sexta-feira de nove meses seguidos, dará a graça de perseverarem até o final.
G: Não vejo a hora de fazer a minha primeira comunhão, para poder cumprir essa promessa...
I: É amigos o coração de Jesus inflama de amor por todos nós!
V: como é bom saber que Jesus me ama tanto, vou contar para todo mundo essas promessas!!
T: Verônica!!!
Fim

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Dízimo Mirim


O Porquinho 
Em uma floresta moravam três porquinhos Bola, Bolinha e Bolão com sua mãe Dª Porca Maricota.Ela ensinava os porquinhos a serem obedientes, agradarem a Deus e dar o dízimo, que é 10% de todo dinheirinho que os porquinhos recebem
Bola gostava muito de bala e sempre que ganhavam um dinheirinho, comprava tudo de bala.Ele nem se lembrava de separar o dízimo.
Bolinha às vezes dava o dízimo, mas geralmente se lembrava de dar o dízimo depois que o dinheiro tinha acabado.
Bolão era o único porquinho fiel. Sempre que recebia algum dinheiro, antes de comprar qualquer coisa perguntava para sua mãe quanto tinha que tirar de dízimo e separava com maior prazer. 
Um dia os 03 porquinhos conversaram com sua mãe e disseram que queriam ter sua própria casa, a mãe permitiu desde que fosse construída perto da casa dela. 
Então, Bola construiu uma casa de palha, pois achou mais fácil e acabou mais rápido.
Bolinha resolveu fazer uma casa de madeira, porque também não queria ter muito trabalho.
Bolão demorou um pouco mais para construir sua casa, pois como era fiel no dízimo Deus dava a ele muita sabedoria, então resolveu fazer a casa de tijolos.
Num belo dia o lobo Devorador estava andando pela floresta quando avistou a casa dos porquinhos, ele pensou: Hum... que delícia hoje vou ter uma saborosa refeição!Então parou em frente à casa de Bola e começou a soprar... Não precisou soprar muito e a casa desabou. Bola ficou muito assustado, saiu correndo para a casa de Bolinha e o lobo Devorador atrás.
-Ahhhhhh, hoje é o meu dia !! -Dizia o Devorador.- Dois deliciosos porquinhos!- Soprarei, soprarei, e esta casa derrubarei….Ele soprou, soprou, soprou e Tibum a casa caiu no chão.Os dois então saíram correndo para a casa de Bolão e o lobo Devorador atrás.
Furioso ele soprou, soprou, soprou…soprou, soprou e ficou sem fôlego.Encheu o peito de ar e com muita raiva soprou, soprou, soprou…soprou, soprou até que quase desmaiou. O lobo Devorador não conseguiu derrubar a casa de Bolão, sabem por quê?
Por que Bolão era fiel no dízimo e Deus promete repreender o devorador.Às vezes você ganha uma roupa nova e logo rasga, seus brinquedos estragam com facilidade ou você sempre perde seu dinheirinho, isso é o devorador.Por isso que temos que ser fiéis e devolver os 10% que é de Deus. Sempre que você ganhar seu dinheiro pergunte para a mamãe ou o papai quanto é o seu dízimo, coloque no seu envelope e traga na escolinha.
(Fiz um encontro improvisando um teatrinho com os catequizandos, foi uma experiência e tanto.)

sábado, 4 de junho de 2011

Catequese:mês de Maria

Finalizamos o mês de maio apresentando um teatro para as crianças da catequese da Escola Américo Vaz, as crianças gostaram muito, juntamos a turma da tia Conceição, tia Etelvina e Nanci, e minha turma, depois as crianças fizeram a coroação à Nossa Senhora.

(Já viram apresentar teatro lendo a fala?kkkk Pois eu faço assim kkk. Ô cabecinha ruim viu!!! kkkk)

olha eu de anjo Gabriel (kkk)

Tia Etelvina de Maria



Tia Conceição de Isabel

Tia Conceição é uma catequista que me espelho muito nela. Uma mestra para nós.


Os anjinhos estão uma fofura...

Meus catequisandos, são minha razão de não desisti nunca


Momento da coroação




"Tudo que é feito com amor torna-se belo"

Letra do teatro:
HISTÓRIA DE MARIA

Narrador: Um jato de luz inunda o recinto deixando Maria embaraçada. Caminha em sua direção a figura majestosa de anjo resplandecente.
Gabriel: Ave cheia de graça!
Narrador: Maria fica assustada.
Gabriel: Ficaste assustado com a minha presença Maria?
Maria: Porque me chamas de cheia de graça e não de Maria?
Gabriel: Por que és realmente cheia de graça. Trago-te uma grande noticia vindo do altíssimo.
Maria: Uma grande noticia?
Gabriel: Eis que conceberás um filho e quando este nascer lhe darás o nome de Jesus.
Maria: Como? Se não conheço homem algum?
Gabriel: O Espirito Santo descerá sobre ti.
Maria: Quanta honra para uma humilde moça a ser mãe do salvador.
Gabriel: Tua prima Izabel também concebeu e este já é o seu sexto mês de gravidez, ela que era considerada estéril.
Maria: Isabel está esperando um filho?
Gabriel: Sim e é grande a sua alegria! Chegou o momento de me retirar para que recebas o espirito santo.
Narrador: O anjo retira-se e Maria prosta-se de joelhos e fala:
Maria: Aqui estou senhor. Faça-se em mim a tua vontade.
(Entra os anjinhos)
Narrador: Com o coração transbordando de felicidade e gratidão ao criador; Maria logo pensa em visitar sua prima Izabel.
Maria: (bate palmas) Ô de casa, tem alguem em casa?
Izabel: Quem és tu?
Maria: Sou Maria sua prima
Izabel: Ô filha como estás tão bonita? Quanto tempo sem te ver?
Maria: A paz esteja contigo, Izabel!
Narrador: A saudação de Maria faz João exultar no ventre da mãe, e ela reconhece que Maria é a mãe do salvador. Em resposta Izabel exclama:
Izabel: Tu és bendita entre as mulheres, e bendito é o fruto do teu ventre! Quem sou eu para merecer que a mãe do meu senhor venha me visitar? Assim que você me cumprimentou meu filho exultou de alegria dentro de mim! O que posso fazer para servir-te, bendita do senhor?
Maria: Ora, Izabel, sou eu quem está aqui para servir-te. Logo que o anjo do senhor me contou que estava grávida, senti desejo de ti visitar.
Izabel: Não podes imaginar como a tua presença me deixa feliz! É realmente maravilhoso! Agora venha descansar.
Narrador: Maria ficou na casa de Izabel 3 meses ajudando-a nas tarefas da casa, lavando, cozinhando, arrumando casa. Maria nos deixou o grande exemplo: sempre está disposto à servir, ajudar o nosso próximo.

(Coroação)